Tecle ENTER para pesquisar ou ESC para sair

NOTÍCIAS

17 de dezembro de 2021

BA pode ter centro de P&D em estrutura ferroviária

CIMATEC
Encontro reuniu representantes do governo e do setor de Logística no SENAI CIMATEC. Foto: Jefferson Peixoto/Coperphoto/Sistema FIEB.

O secretário Nacional de Transportes Terrestres (SNTT), Marcello Vieira, visitou, nesta sexta-feira (17), o SENAI CIMATEC, em Salvador, onde conheceu as instalações e a proposta da criação de um centro nacional de estrutura ferroviária.

Pautado no marco legal das ferrovias, cujo texto está agora no Senado para sanção, o projeto prevê um centro de P&D voltado para soluções em ferrovias. O núcleo seria conduzido pelo SENAI CIMATEC, que contaria com parcerias públicas e ou privadas para desenvolver pesquisa aplicada para o modal.

De acordo com Marcello Vieira, o desafio da pasta (Ministério da Infraestrutura) é maior do que a sua capacidade. Além disso, o orçamento disponível é o mais baixo em 20 anos. Em contrapartida, as obras de infraestrutura requerem montantes de recursos que só a iniciativa privada poderia aportar, segundo o secretário.

“Desta forma, precisamos de parceiros que nos ajudem a pensar fora da caixa e agreguem valor. Estamos felizes de estarmos aqui para amadurecer a ideia de um centro tecnológico de excelência em pesquisa ferroviária para o país, estamos esperançosos de sair daqui com novas possibilidades”, afirmou Viera.

Para o presidente da FIEB, Ricardo Alban, “um país da dimensão do Brasil não pode ser tão precário em ferrovias. É preciso recursos e vontade de fazer, é uma questão de prioridade”, pontuou, lembrando da disparidade entre os orçamentos anuais da Embrapa (R$ 3,3 bilhões) e Embrapii (cerca de R$ 45 milhões).

Alban frisou que o SENAI CIMATEC tem estrutura para fazer o centro acontecer. “Quando não temos a tecnologia, nós buscamos com quem tenha, assim firmamos parcerias para fazer germinar ideias e resultados”, disse.

O gerente de negócios da VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias, empresa pública responsável pela construção e exploração de infraestrutura ferroviária, Alex Trevizan, enfatizou que o setor anseia por estas parcerias e “quer entrar junto no projeto e tem capital humano especializado para contribuir com um futuro centro de excelência”.

Protocolo – Na ocasião, os representantes do Ministério da Infraestrutura, SENAI CIMATEC/FIEB e VALEC assinaram um protocolo de intenções para cooperação de natureza tecnológica e científica. A aproximação das instituições foi conduzida pelo Conselho de Infraestrutura da FIEB.

“Hoje, a gente tem estruturas logísticas, mas sem conexão. Precisamos interligar essas estruturas – ferrovias, rodovias e modais marítimos – para promover a indústria com um custo mais eficiente e poder gerar mais renda e emprego para o estado”, afirmou o presidente do Conselho de Infraestrutura da FIEB, Murilo Xavier.

Notícias relacionadas

EN PT