Tecle ENTER para pesquisar ou ESC para sair

NOTÍCIAS

19 de maio de 2022

Sindileite mobiliza políticos e entidades para revogar isenção tarifária da importação de muçarela

Economia Sindicatos

Preocupadas com os efeitos da isenção tarifária para importação do queijo muçarela de fora do Mercosul – medida aprovada e implementada em março deste ano, pelo Ministério da Economia, por meio da Resolução nº 317/2022 – lideranças do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite da Bahia (Sindileite – Bahia) estão mobilizando políticos e entidades para obter a revogação da decisão.


Pela Resolução, o queijo muçarela passou a integrar a LETEC – Lista de Exclusão da Tarifa Externa Comum. De acordo com o Sindileite, a decisão zerou a alíquota de importação de 28,0 % do principal queijo do Brasil, trazendo riscos para o setor, expondo agroindústrias e produtores a concorrentes altamente subsidiados como Estados Unidos, Canadá e União Europeia.


São mais de 1800 estabelecimentos queijeiros no Brasil (IBGE 2020), em sua imensa maioria pequenas e médias empresas da Inspeção Estadual e Municipal, segundo o Sinditeilte. A medida afeta diretamente os pequenos produtores familiares.


O presidente e o vice-presidente do Sindleite-BA, Paulo Cintra e Lutz Viana Rodrigues Junior, celebram ao apoio à causa por parlamentares. Lutz destaca a atuação dos deputados federais Cláudio Cajado (PP-Bahia), Zé Neto (PT-BA), Reginaldo Lopes (PT-MG), Victor Hugo (PL-GO) e Helder Salomão (PT-ES), e dos senadores Luis Carlos Heinze, (PP-RS) e Esperidião Amin (PP-SC). A reivindicação conta ainda com o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA), Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).


“A defesa da pecuária familiar e da agroindústria nacional foi realizada com todos os instrumentos institucionais ao alcance do parlamentar (Claudio Cajado), trabalhando diretamente com a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, sensibilizando o Ministério da Economia do impacto social da medida”, afirmam Cintra e Lutz.

Notícias relacionadas

EN PT