Tecle ENTER para pesquisar ou ESC para sair

NOTÍCIAS

4 de agosto de 2022

SESI Bahia participa de encontro sobre inovação na Educação

Educação Escola SESI Nacional SESI

Seminário Internacional SESI de Educação reúne especialistas e experiências de sucesso, no Píer Mauá, no Rio de Janeiro

Da Agência CNI

Trabalhar o pensamento crítico aliado à educação tecnológica e à inovação, como possibilidade de imaginar futuros possíveis, é um dos grandes desafios da educação hoje. O tema vai nortear o Seminário Internacional SESI de Educação: Pensamento Crítico e Inovação, parceria do Serviço Social da Indústria (SESI) com o Canal Futura, que reúne educadores, especialistas e gestores para debater e compartilhar boas práticas, nesta quinta-feira, dia 4 de agosto, a partir das 14h, no Píer Mauá, no Rio de Janeiro. O evento faz parte do Festival Internacional SESI de Robótica 2022 e é aberto ao público, com inscrições gratuitas.

Para participar do seminário e acompanhar as discussões, os interessados poder se inscrever no site do Festival. Serão três painéis, com debates e apresentação de cases nacionais e internacionais, num encontro que trará diversidade de perspectivas sobre o tema. O evento também terá transmissão online no YouTube do SESI. [Veja abaixo programação completa]

A Bahia está sendo representada pelo gerente de Educação Científica e Tecnológica da Rede SESI Bahia, Fernando Moutinho, que participará do seminário ao lado da estudante Ana Luiza Nogueira Oshiro de 17 anos, aluna de iniciação científica do terceiro ano do ensino médio, na Escola SESI Ignês Pitta de Almeida, de Barreiras. A estudante tem um histórico de reconhecimento em eventos de iniciação científica nacionais e internacionais.

Abrindo a programação, a mesa-redonda “Quais são os caminhos necessários para uma educação que estimule o pensamento crítico, científico e a inovação?” vai reunir a professora e criadora da primeira escola afro-brasileira do país, Bárbara Carine Soares Pinheiro; a pesquisadora Cassia Fernandez, da Universidade de Columbia, que atua em projetos de formação de professores de ciências e tecnologia; e a professora Giovanna Machado, diretora do Cetene e fundadora do Programa Futuras Cientistas, que aproxima meninas e professoras de escolas públicas nas áreas de STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática). A mediação é do Gerente Executivo de Educação do SESI, Wisley João Pereira.

Para inspirar novas formas de fazer e fomentar ciência e inovação, o painel “Como acelerar um futuro mais diverso e inclusivo, utilizando tecnologia e inovação na educação?” trará cases de sucesso no cenário nacional e internacional. Participam o empreendedor social João Souza, head da plataforma de inovação social Futuros Inclusivos; o professor Fernando Moutinho e a estudante Ana Luiza Nogueira Oshiro, que integra o Programa de Iniciação Científica SESI da Bahia; e Natasha Felizi, diretora do Programa de Divulgação Científica do Instituto Serrapilheira. O painel tem mediação de Silvana Bahia, diretora do Olabi, espaço dedicado à aprendizagem e democratização da tecnologia no Rio de Janeiro.

Já o encontro “Quais as contribuições dos espaços que conectam arte, ciência e tecnologias para pensarmos uma nova cultura de educação?” expande o universo da educação para além das salas de aula. Participam Owen Laurence, diretor de projetos do Exploratorium Museum, na Califórnia (EUA); Claudia Ramalho, Gerente Executiva de Cultura do CNI/ SESI/ SENAI/ IEL; Alexandre Fernandes, curador de inovação do Museu do Amanhã; e Gabriela Agustini, diretora do Olabi. 

“O que se espera dos cidadãos do século XXI é que entendam como aprender aquilo que precisam e como aplicar para resolver problemas reais, imaginar e criar coisas novas. Neste contexto, escolas, espaços de ensino, instituições e profissionais de educação se veem diante da necessidade de repensar e inovar em relação aos seus currículos, práticas e ambientes para promover o senso de pertencimento de alunos e comunidade escolar. O Seminário é um espaço para essa reflexão”, diz Deca Farroco, gerente de Produção do Canal Futura/Fundação Roberto Marinho.

Programação

14h às 14h20 – Abertura institucional  

Rafael Lucchesi (Diretor Superintendente do SESI)

João Alegria (secretário-geral da Fundação Roberto Marinho)

Debate: 14h25 às 15h30 – Quais são os caminhos necessários para uma educação que estimule o pensamento crítico, científico e a inovação?

Convidados: 

Bárbara Carine Soares Pinheiro (Professora, escritora e empresária)

Idealizadora da escola Afro-brasileira Maria Felipa (@escolinhamariafelipa), primeira escola afro-brasileira do Brasil. Formada em Química e em Filosofia pela UFBA, mestre e doutora em Ensino de Química pela (UFBA/UEFS). Autora de livros como: “@descolonizando_saberes: mulheres negras na ciência” (finalista do prêmio Jabuti 2021). 

Cassia Fernandez  (Research Associate no Transformative Learning Technologies Lab da Universidade de Columbia)

Na Universidade de Columbia, atua em projetos de formação de professores de ciências e tecnologia, e na elaboração de currículos de ciências. É mestre e doutoranda no departamento de sistemas eletrônicos da Universidade de São Paulo, com pesquisas voltadas ao desenvolvimento de ferramentas e abordagens para conectar a programação ao aprendizado de ciências na educação básica. Cassia é também cofundadora e diretora da Associação de Ciências da Aprendizagem/Brasil.

Giovanna Machado (Diretora do Cetene, fundadora do Programa Futuras Cientistas)

É fundadora do programa Futuras Cientistas, que visa a aproximação de meninas e professoras de escolas públicas nas áreas de STEM. Contribui com programas de pesquisa e popularização da Ciência. Pesquisadora, professora da Universidade de Caxias do Sul-UCS, e da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. Atualmente é Diretora do Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste, uma das unidades de pesquisa do MCTI.  

Mediação: Wisley João Pereira (Gerente Executivo de Educação do SESI)

Especialização em Gestão da Educação Pública. É professor licenciado da Secretaria Estadual de Educação de Goiás, coordenou o Programa Ensino Médio Inovador de 2011 a 2015 e presidiu o Comitê Estadual de Goiás da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) 2015/2016. Assumiu a Coordenação-Geral de Ensino Médio da Secretaria de Educação Básica/MEC em 2016 para conduzir a Reforma do Ensino Médio aprovada em 2017 e, em diálogo com o CONSED, conduziu a construção de dois programas para apoiar na implementação do Novo Ensino Médio: Programa de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral e o Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio. Em 2019 assumiu a Diretoria de Educação Básica da Secretaria de Educação Básica do MEC. Atualmente é Gerente Executivo de Educação do SESI, onde atuou na implementação do Sistema Estruturado de Ensino Digital para toda a Educação Básica e Educação de Jovens e Adultos.

Inspiração: 15h35 às 16h35 – Como acelerar um futuro mais diverso e inclusivo, utilizando tecnologia e inovação na educação?  

Convidados

João Souza (Head da Futuros Inclusivos)

Empreendedor Social reconhecido pela rede global Ashoka. Cofundador da FA.VELA e Head da Futuros Inclusivos, plataforma de inovação social e futuros na área de pesquisa e desenho de projetos nas áreas de educação, transformação digital inclusiva, impacto social e diversidade.

Fernando Moutinho e Ana Luiza Nogueira Oshiro (Programa de Iniciação Científica SESI-BA)  

Fernando Moutinho – Mestre e doutorando em química orgânica com ênfase em biotecnologia e especialista em educação científica. Atualmente é responsável pela Gerência de Educação Científica e Tecnológica da Rede SESI Bahia de Educação. Ao longo desses anos, vem atuando na orientação e desenvolvimento de projetos de pesquisa em iniciação científica com estudantes da educação básica, criando soluções inovadoras, sustentáveis e aplicáveis através de um processo de aprendizagem exploratório, prático e adaptável aos interesses dos estudantes, que consiste na formação de jovens pesquisadores e empreendedores para os desafios do século XXI.

Ana Luiza Nogueira Oshiro – Tem 17 anos, é estudante do terceiro ano do ensino médio na escola Sesi Ignes Pitta de Almeida em Barreiras. Começou na iniciação científica em 2020, no primeiro ano do ensino médio, com o projeto Pastilha filtrante de Moringa Oleífera, desenvolvido junto com as estudantes Maria Eduarda Prates Brandão e Sarah Fernandes de Oliveira. Com esse projeto participou de feiras de âmbito regional, nacional e internacional, como Ficob, Febrace e Isef.

Natasha Felizi (Diretora do Programa de Divulgação Científica no Serrapilheira)  

Mestre em Literatura Russa e Portuguesa. Diretora do Programa de Divulgação Científica no Serrapilheira, instituição privada, sem fins lucrativos, de fomento à ciência no Brasil.  É co-organizadora do livro Brasil em Movimento – Reflexões sobre os Protestos de Junho (Rocco) e coordenou projetos com foco em arte, tecnologia e ativismo para organizações do terceiro setor (CulturaDigital.Br, ITS-Rio, Coding Rights), televisão (MTV, Canal Curta), rádio, mídia impressa, exposições e plataformas digitais (Panfletos da Nova Era, portal de Jorge Mautner). 

Mediação: Silvana Bahia (Diretora do Olabi)

Pesquisadora associada do grupo de arte e Inteligência Artificial da USP e do grupo de pesquisa em Políticas e Economia da Informação e Comunicação da UFRJ. Diretora do Olabi, espaço dedicado à aprendizagem e democratização de tecnologia na cidade do Rio de Janeiro.

Encontro 16h40 às 17h50 – Quais as contribuições dos espaços que conectam arte, ciência e tecnologias para pensarmos uma nova cultura de educação?

Convidados

Owen Laurence (project Diretor Exploratorium Museum )

Bacharel em Ciências Ambientais pela Michigan State University, MBA em Empreendimentos Sustentáveis pela Dominican University. Owen Lawrence combina sua experiência em projetar experiências interativas, consultoria em questões ambientais e empreendedorismo. Atualmente é diretor de projetos no Exploratorium Museum. Trabalhou como consultor ambiental e de sustentabilidade para clientes corporativos e governamentais. 

Claudia Ramalho (Gerente Executiva de Cultura CNI SESI SENAI IEL)

Trabalha na Confederação Nacional da Indústria há 35 anos e é responsável pela área de cultura em âmbito nacional. Atualmente é responsável pela criação, em Brasília, de um museu de arte, ciência e tecnologia – o SESI Lab – e pela implantação de uma política nacional de cultura. Gestora do Prêmio Industrial Nacional, considerado pela crítica de um dos principais prêmios de arte contemporânea, realizado há 15 anos no país. 

Alexandre Fernandes (curador de inovação Museu do amanhã)

Empreendedor cultural movido por valores de ciências ambientais e justiça social.  Fundador da Museum of Tomorrow International Foundation, na Holanda, uma organização dedicada a disseminar conteúdos e conceitos de regenerative design internacionalmente por meio de experiências transformadoras. Curador de Inovação do Museu do Amanhã.

Mediação: Gabriela Agustini (Diretora do Olabi)

Mestre em design e sociedade, é professora de cultura e tecnologia. Membro do board das organizações: Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio), Instituto de Tecnologia e Equidade (ITE), Coding Rights e do Global Innovation Gathering (GIG), baseado em Berlim e com atuação global. Diretora do Olabi, espaço dedicado à aprendizagem e democratização  da tecnologia na cidade do Rio de Janeiro.

Notícias relacionadas

EN PT