Tecle ENTER para pesquisar ou ESC para sair

NOTÍCIAS

5 de julho de 2022

Acelen investe R$ 8,6 milhões em contratos com SENAI e Cimatec

CIMATEC FIEB SENAI
Executivos da Acelen e do Sistema FIEB presentes à assinatura do contrato de parceria Fotos: Valter Pontes/Coperphoto/Sistema FIEB

O CEO da Acelen, Luiz de Mendonça e o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Ricardo Alban, assinaram, nesta terça-feira, 5.7, na sede do SENAI Cimatec, em Salvador, dois contratos de parceria que totalizam R$ 8,6 milhões em projetos de formação profissional e pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica.

O primeiro contrato, que será executado pelo SENAI Bahia, prevê um projeto de capacitação profissional, único no país, voltado para a formação de técnicos de operação e manutenção para o refino privatizado. Com investimento de R$ 4,6 milhões, o projeto prevê editais para seleção dos alunos. O primeiro foi aberto nesta terça, 5.7, às 14h, com 350 vagas para capacitação de técnicos em refino, e contará com 216 horas/aula.

Além deste, outro edital será lançado em agosto, com a oferta de 30 vagas para capacitação em manutenção. O treinamento será conduzido pelo SENAI Bahia em suas unidades de Candeias, Lauro de Freitas e Cimatec.

EDITAIS DE CAPACITAÇÃO

O edital para qualificação profissional de operador de refino de petróleo, tendo como pré-requisito formação técnica em Química, Petroquímica e Petróleo e Gás, está disponível no site www.senaibahia.com.br e nas redes sociais do Senai Bahia.

Os candidatos devem possuir no mínimo 18 anos na data de inscrição, e residir, preferencialmente, nas cidades de São Francisco do Conde, Candeias, Madre de Deus, Salvador e regiões circunvizinhas. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas exclusivamente via internet, das 14 horas do dia  5 de julho às 18 horas do dia 14 de julho.

O segundo edital, para o curso de capacitação em manutenção, será divulgado no mês de agosto.

O CEO da Acelen, Luiz de Mendonça, e o presidente da FIEB, Ricardo Alban, assinaram contrato de parceria no valor de R$ 8,6 milhões

EFICIÊNCIA HÍDRICA

Já o segundo contrato, no valor de R$ 4 milhões e com prazo de três anos, será voltado para inovação e tecnologia com foco no desenvolvimento de soluções com grande impacto na competitividade industrial e eficiência no uso dos recursos naturais. As soluções serão desenvolvidas pelo SENAI Cimatec com a participação da equipe Acelen. Já foram mapeadas iniciativas relacionadas com eficiência hídrica, novas tecnologias de análise laboratorial, automação e indústria 4.0.

“Chegamos na Bahia para ficar, colaborar diretamente com o crescimento econômico e social do estado, mirando sempre o futuro, e, para isso precisamos formar uma mão de obra capacitada para atuar no segmento de refino de petróleo que requer uma atuação técnica especializada. Além disso, inovar está no nosso DNA, e junto ao SENAI Bahia estamos criando oportunidades para modernizar a Refinaria e trazer tecnologia necessária para a evolução do setor”, explicou o CEO da Acelen, Luiz de Mendonça.    

“Estamos felizes com esta parceria, pois é um reconhecimento às competências que o Senai tem e desenvolve para apoiar a indústria baiana. Além da capacitação de profissionais para o setor, teremos um portfólio de serviços bem amplo em inovação e tecnologia. E como todos sabem, inovação é a chave para a produtividade, competitividade e a sobrevivência das empresas no mercado. Por isso, a parceria com a Acelen inclui temas como transformação digital, Indústria 4.0 e desenvolvimento de produtos”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Ricardo Alban.

IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA

O presidente da FIEB também destacou a relevância da refinaria Mataripe no PIB (Produto Interno Bruto) do estado, da ordem de 30%. “No momento que ela foi privatizada e que há investimentos em modernização, produtividade e ampliação já denota a importância que tem esta parceria com a Acelem. Não só por ser um grupo de porte internacional, mas também pelo reconhecimento que dá ao SENAI Cimatec, ao Cimatec Park e ao SENAI e seus cursos técnicos de fazer toda esta parte de treinamento, capacitação e desenvolvimento tecnológico”, reforçou Alban.

O presidente da FIEB acredita que a assinatura destes dois contratos mostra que a relação com a empresa será bastante profícua e marca o início de uma longa parceria. “Hoje, a Acelen já se posiciona como uma empresa de energia, não é apenas uma refinaria, e diante do que está ocorrendo no mercado global, em relação à crise energética, encontramos aí diversas oportunidades para que este crescimento e esta relação tragam resultados para a economia baiana”, acrescentou.

Ricardo Alban acredita que há oportunidades futuras com a companhia nas áreas de energias renováveis e produção do hidrogênio verde, bem como no incremento da cadeia de suprimentos da Acelen, incluindo o desenvolvimento de um hub de petróleo de gás on shore. “Neste movimento tecnológico constante devemos ser um grande colaborador nesta integração do encadeamento produtivo de todo o setor e consequentemente de toda a economia baiana neste vetor tão importante que é a energia”, complementou Alban.

CAPACITAÇÃO E P&D

O superintendente do SENAI Bahia, Rodrigo Alves, também saudou a parceria com a nova gestora da refinaria de Mataripe e sua importância para a Bahia e colocou o SENAI Bahia à disposição da organização. “A Acelen conta com um parceiro que possa apoiá-la na área de capacitação de mão de obra e o SENAI coloca à disposição da empresa toda a experiência de quase 80anos dedicados à educação profissional. Tenho certeza que este é o início de uma longo projeto de parceria para o mercado baiano e na geração de empregos para a população”, arrematou Alves.

O diretor de Operações do SENAI Cimatec, Luiz Breda, lembrou que a entidade vai executar toda a parte de suporte e desenvolvimento tecnológico na área de projeto de pesquisa, desenvolvimento e inovação e explicou que, na parte de serviços, foram mapeadas várias oportunidades dentro da Acelen junto com a equipe de tecnologia deles.

Breda explica que a parte de PDI (Pesquisa Desenvolvimento e Inovação) é um desafio maior. O SENAI Cimatec vai ter que criar um road map junto com a equipe de tecnologia da Acelen para, a partir daí, mapear e detalhar estes projetos, integrá-los e conseguir dar uma sequência para trabalhar com a melhoria de competitividade, produtividade da companhia. O objetivo é contemplar temas importantes para a Acelen, como indústria 4.0 e segurança operacional, dentre outros. “Tenho certeza de que esta vai ser uma iniciativa vencedora, com enorme potencial e nos colocamos à disposição para apoiar a empresa no que o Cimatec tem de competências e áreas de atuação”, concluiu.

Notícias relacionadas

EN PT