A+ A-

Notícias

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

10º Encontro Baiano dos Laticinistas reúne produtores, fornecedores e entidades públicas

Produtores, representantes de indústrias, fornecedores e entidades públicas participaram do 10º Encontro Baiano dos Laticinistas, que aconteceu em 25 e 26 de outubro no Hotel Deville. Na oportunidade, os quase 100 associados do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia (Sindileite), filiado à Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), puderam assistir palestras sobre temas relacionados ao mercado de lácteos e derivados, além de participar de mesas redondas e debater sobre os rumos e perspectivas do setor.

Em balanço, a direção do Sindileite definiu o 10º Encontro como essencial para os produtores e destacou o sucesso do evento. As cotas de patrocínio e stands esgotaram em tempo recorde, o que comprova que o formato exclusivo do encontro contou com total apoio dos laticinistas baianos. Atualmente o segmento possui mais de 200 indústrias na Bahia.

Para o vice-governador João Leão, que participou da abertura do encontro, o evento cumpre a missão de fortalecer a cadeia produtiva na Bahia. "Não faz sentido a Bahia importar derivados de leite se nós temos áreas fabulosas para produtividade. Nós do governo queremos incentivar esse povo a produzir, nós queremos que eles aumentem sua produção e, por isso, nos colocamos à disposição. Eu, o governador Rui Costa e toda estrutura do governo sempre estaremos ajudando os produtores", ressaltou.

Palestrante no primeiro dia da reunião, o secretário estadual de Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura, Lucas Teixeira Costa, destacou a importância do setor para o Estado. "A classe produtora de leite é uma classe composta por muitos amigos. Eu sou produtor, sou filho de produtores e tenho o maior orgulho disso. Sou um incentivador e vou lutar, incansavelmente, pelo crescimento da cadeia produtiva de leite. Nós temos potencial e vamos ser referência, depende do nosso esforço", destacou.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Bahia respondeu, no 1º trimestre de 2019, por 1,9% de todo o leite adquirido no país. Minas Gerais segue liderando a aquisição de leite, com 25,3% do total. Isso sem falar da grande quantidade de empregos gerados no campo com os pequenos produtores de leite.

O bom relacionamento entre os produtores foi exaltado pelo diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), Maurício Bacelar. Segundo ele, o entrosamento garante tranquilidade para atuação do órgão. "Com essa afinidade, nós sabemos que o trabalho de sanidade dos rebanhos está sendo bem conduzido. O manejo feito pelos produtores é de grande responsabilidade. Temos a absoluta certeza que esses produtores estão entregando produtos de qualidade aos laticínios", salientou.

Presente pela terceira vez no encontro, o cônsul-geral da Argentina, Pablo Virasoro, chamou atenção para a integração entre as cadeias produtivas do Brasil e do seu país. "A cooperação entre as empresas e os poderes públicos devem promover essa integração entre os países, visando a exportação. Fiquei muito satisfeito com o evento. A Bahia é importantíssima na região e no Brasil como produtora de leite, é um exemplo e um espelho para as indústrias argentinas", analisou.

 

* Fonte: Assessoria de imprensa do Sindileite.