A+ A-

Memória Organizacional

Uma trajetória de conquistas

Da fundação aos anos 1970

O ano de 1948 marca a criação da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) e do Serviço Social da Indústria (SESI), surgidos em uma época em que a atividade industrial do estado se resumia, praticamente, às áreas de fiação e tecelagem, fumo e fábricas de alimentos. O SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, que, na Bahia, nasceu em 1945, foi incorporado à Federação, fundada por representantes de sindicatos patronais, para juntos defenderem interesses da classe, de forma mais coesa. Posteriormente, com o surgimento do Centro Industrial de Aratu e o início de implantação do Pólo Petroquímico de Camaçari, a FIEB teve que se adequar às novas exigências da industrialização.

Grandes marcos

  • Aquisição da primeira sede própria, em 1958, que ocupava quatro andares do edifício Nelson de Faria, na Cidade Baixa, com espaços para administração da FIEB, SESI, Gabinete da Presidência e auditório para 120 pessoas;
  • Criação do Instituto Euvaldo Lodi (IEL);
  • Cruzada pelo interior da Bahia para criar Comitês de Fomento à Industrialização, iniciativa do então presidente Ulisses Barbosa Filho. Esforço este que move a Federação até os dias atuais com marcos como o lançamento do Programa de Interiorização da Indústria, em 2011;
  • Criação do Centro de Assistência à Média e Pequena Empresa (CAMPI);
  • Finalização, em 1977, das instalações do SESI em Itapagipe, Salvador, que incluíam ginásio coberto, piscinas semi-olímpicas, campo de futebol, quadras polivalentes, entre outras facilidades.
  • Participação destacada no I Encontro dos Empresários do Nordeste, em 1978, que obteve grande repercussão nacional, tendo como objetivo defender a economia da região.

Dos anos 1980 à atualidade

A consolidação do Polo Petroquímico de Camaçari e a inauguração da Caraíba Metais deram maior dinamismo à economia baiana, nos anos 1980. Na primeira década do século XXI, a Ford se implantou na Bahia.  A FIEB esteve presente nestes e nos demais momentos importantes do processo de industrialização do Estado. A partir de 2003, iniciou o processo de integração de sua estrutura, ainda hoje em curso. A Federação é hoje reconhecida como uma entidade que presta importante apoio ao desenvolvimento industrial da Bahia, incentivando a inovação e formando mão de obra qualificada. Veja algumas de suas realizações:

 

Anos 1980

 

  • Inauguração, em 1985, do Palacete das Mercês, próximo ao centro financeiro de Salvador à época;
  • Empenho no processo de incremento às exportações, com participação em missões ao Chile, México, Polônia, Hungria, para promover maior intercâmbio entre os países e o Nordeste brasileiro;
  • Assinatura de convênio entre o IEL e o Centro Industrial de Aratu (CIA), para desenvolvimento de programas de estágio;
  • Lançamento da Revista Bahia Indústria, que ainda hoje circula.
  • Organizou debates com Josaphat Marinho e Waldir Pires, candidatos ao governo da Bahia, em 1986, para discutir planos de ação, problemas e propostas.
  • Liderou conversas sobre a crise energética na Bahia e no Nordeste, em 1987, assinando convênio com a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia para beneficiar as indústrias.


Anos 1990
 

  • Envolvimento no processo de Revitalização do Sistema Ferroviário da Bahia e do Sistema Moderno de Transporte de Massa;
  • Inauguração do SENAI-CETIND, Centro de Tecnologia Industrial Pedro Ribeiro Mariani, em Lauro de Freitas;
  • Reativação do Centro das Indústrias do Estado da Bahia (CIEB);
  • Mudança para a nova sede, adquirida em 1991, posteriormente ampliada e denominada de Conjunto Albano Franco, no bairro do Stiep, em Salvador.
  • Desenvolveu ações voltadas para a modernização dos portos baianos, tornando-os mais competitivos.


Anos 2000
 

  • Inauguração do Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia (SENAI-CIMATEC), na Av. Orlando Gomes, em Salvador;
  • Incorporação de novos sindicatos da indústria;
  • Criação de Conselhos Temáticos em áreas estratégicas, a exemplo de Inovação e Tecnologia; Responsabilidade Social Empresarial; Micro e Pequena Empresa; e de Petróleo e Gás Natural;
  • Inaugurada unidade do SESI Lucaia, para atendimento nas áreas de Saúde e Segurança no Trabalho;
  • Campanha pelo fim da CPMF, revogada pelo Congresso Nacional em dezembro de 2007. A FIEB lançou manifesto contra prorrogação da contribuição, com milhares de assinaturas, enviadas ao Congresso;
  • Inauguração do SENAI Cimatec 2, com a presença do então presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva;
  • Inauguração do SENAI Cimatec 3 e 4;
  • Lançamento do Programa de Interiorização da Indústria, contemplando as regiões Oeste (Barreiras e Luís Eduardo, já inauguradas), Sul (Ilhéus e Itabuna), Sudoeste (Vitória da Conquista, inaugurada), Central (Feira de Santana) e Norte (Juazeiro).
  • Lançamento do Projeto Cimatec Industrial, em amplo terreno no Distrito Industrial de Camaçari.


Hoje, a FIEB é uma das mais atuantes entidades do Sistema Indústria no país, tendo muitas de suas práticas reconhecidas.

topo