A+ A-

Notícias

sexta-feira, 19 de novembro de 2021

Brasil precisa de indústria forte e dinâmica para novo ciclo de crescimento, diz presidente da CNI

 

Para Robson Braga de Andrade, há um imenso potencial de investimento na indústria brasileira para multiplicar emprego e renda

robson.jpg

Apostar no crescimento e no fortalecimento da indústria para o Brasil voltar a ter uma economia próspera é o caminho que o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, apontou para multiplicar emprego e renda.

 

“A indústria sempre foi o setor que mais contribuiu para que o país saísse de crises econômicas. A história mostra que, quando a indústria vai bem, a economia passa por um círculo virtuoso e prospera. O Brasil precisa de uma indústria forte e dinâmica para fazer a transição entre a retomada da atividade pós-pandemia e um novo e duradouro ciclo de crescimento”, afirmou Andrade, neste domingo (15), durante o Invest in Brazil Fórum, evento em Dubai organizado pela Apex-Brasil para apresentar o país e mostrar as potencialidades de negócios para investidores estrangeiros.

 

Robson Andrade também ressaltou que a mudança tecnológica e novos modelos de negócio trazem oportunidades. Digitalização, internet das coisas, compartilhamento, economias circular e de baixo carbono são algumas das mudanças em curso. “A incorporação dessas novas tecnologias possibilitará ganhos significativos de produtividade, fundamentais para que a indústria brasileira alcance um novo patamar de competitividade”.

 

Segundo ele, o rearranjo das cadeias globais de valor, provocado pela pandemia, também é outra janela de oportunidade para que o Brasil amplie sua presença nos elos internacionais de produção, hoje considerada pequena. “Da crise, surgem oportunidades. A CNI e a indústria brasileira estão prontas para retomar o dinamismo e a importância do passado, mas sempre olhando para o futuro”, observou.

 

 

Indústria é central para crescimento de todos os setores da economia

Andrade destacou ainda que a indústria sempre foi e continuará sendo central para o desenvolvimento econômico e social, não só no Brasil, mas em todos os países. Ele lembra que o setor é fundamental para oferecer produtos e novas tecnologias para outros eixos da economia, como a agricultura, o comércio e o setor de serviços.

“Na indústria, são desenvolvidos defensivos agrícolas, e máquinas e equipamentos modernos e eficientes que aumentam a competitividade da agricultura. Por meio desse setor, também são produzidos os instrumentos e as ferramentas que impulsionam a oferta de serviços. Isso viabiliza o desenvolvimento de serviços de alto valor agregado como design, logística e pesquisa científica. A indústria inova e investe, gerando conhecimento e renda”, disse o presidente da CNI.

 

Em razão dessa extensa cadeia de conexões com uma série de fornecedores e de clientes, na própria indústria e em outros setores, cada R$ 1 produzido na indústria gera R$ 2,40 na economia nacional como um todo. “O setor é o que tem maior capacidade de gerar um efeito multiplicador na economia”, destacou.

 

Bolsonaro: país de portas abertas

O presidente da República, Jair Bolsonaro, declarou que o Brasil está de portas abertas para os negócios com o mundo árabe. Que o país tem um potencial industrial e agrícola muito grande. Bolsonaro afirmou também que os países árabes são um dos parceiros preferidos pelo Brasil.

 

O presidente anunciou a abertura de um escritório de turismo do Brasil em Dubai, ressaltou as qualidades do povo brasileiro, dizendo que é um povo acolhedor e destacou as oportunidades para a realização de negócios, principalmente, na área de infraestrutura.

 

Brasil precisa de indústria forte e dinâmica para novo ciclo de crescimento, diz presidente da CNI

Sócios ideais para os recursos naturais

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil está abertos e espera uma parceria bem-sucedida com os Emirados Árabes Unidos. Ele ainda comentou que os empresários precisam ficar atentos às mudanças no eixo de crescimento mundial para enxergar novos potenciais negócios.

 

Guedes destacou ainda que os EAU são sócios ideais para os recursos naturais do Brasil. Ele listou uma série de oportunidades de investimentos. Por fim, ele convidou os investidores árabes a apostarem no Brasil. “Confiem no Brasil, venham para o Brasil”, declarou.

 

A abertura do Invest in Brazil Fórum contou com a participação dos ministros Paulo Guedes (Economia), Tarcisio de Freitas (Infraestrutura), Tereza Cristina (Agricultura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Carlos França (Relações Exteriores), Braga Netto (Defesa) e Gilson Machado (Turismo).

 

 

Especial Brasil - Emirados Árabes: uma parceria estratégica

Acesse o especial Brasil - Emirados Árabes para conferir todos os conteúdos feitos pela Agência de Notícias da Indústria sobre as relações entre os países e a cobertura completa da maior missão empresarial brasileira ao mundo árabe.