A+ A-

Notícias

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Ferrovias baianas são tema de encontro entre representantes do Sistema FIEB e da Valec

Importante modal para o desenvolvimento do estado, as ferrovias baianas necessitam de investimentos. O assunto foi discutido nesta quinta-feira, 14.10, em reunião entre representantes do Sistema FIEB e diretores da Valec Engenharia, empresa pública vinculada ao Ministério da Infraestrutura, responsável pela construção e exploração de infraestrutura ferroviária no Brasil, entre elas a Ferrovia da Integração Oeste Leste (FIOL).

Encontro-Valec-Geral.jpg
Reunião tratou das ferrovias baianas e das possibilidades de parceria entre a Valec e o SENAI Cimatec. Fotos: Valter Pontes / Coperphoto / Sistema FIEB. 

 

O encontro, realizado no SENAI Cimatec, também contou com a presença do vice-governador e secretário de Planejamento, João Leão, e do presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Antonio Carlos Tramm.

Na oportunidade, o superintendente da FIEB, Vladson Menezes, destacou a necessidade de investimentos na Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). Com a proximidade do vencimento da concessão da ferrovia e diante da possibilidade de renovação antecipada da concessão, a FIEB defendeu a necessidade de investimentos nas três linhas que cortam a Bahia nos cinco primeiros anos da renovação, caso se confirme.

“A carga transportada pela FCA vem caindo ao longo dos anos. A Bahia tem um terço da malha da FCA e cerca de 5% da carga, mas existe potencial para transporte de carga. Para que este potencial seja atingido, é necessário um conjunto de investimentos nas três linhas da FCA aqui no estado logo no início do processo de renovação, se isso vier a acontecer”, destacou Menezes.
 

Encontro-Valec-Vladson.jpg
O superintentende da FIEB, Vladson Menezes, sinalizou a necessidade de investimentos nas ferrovias baianas.
 

Entre os investimentos apontados pelo superintendente da FIEB estão a recuperação da linha Sul; um traçado alternativo que evite o gargalo da ponte entre Cachoeira e São Félix; e a construção da variante ferroviária para ligar o Polo Industrial de Camaçari ao Porto de Aratu.

Outra importante ferrovia para o estado, a Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL) também foi tema do encontro. O vice-governador e secretário de Planejamento, João Leão, destacou a importância da construção da FIOL para a Bahia e ressaltou que a ferrovia irá viabilizar a exploração de jazidas de minérios no estado.

Já o superintendente da FIEB, Vladson Menezes, defendeu o avanço das obras do trecho II, para que se possa viabilizar a subconcessão do trecho, assim como ocorreu no trecho I, arrematado pela Bahia Mineração (Bamin). Em relação ao trecho III da ferrovia, a FIEB defendeu uma alteração no traçado, para que a FIOL se encontre diretamente com a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) em Mara Rosa (GO). “Essa mudança é boa não somente para a Bahia, mas também para a produção de grãos da região Centro-Oeste do país, que passa a ter uma alternativa de escoamento”, pontuou Menezes.

Também presente ao encontro, o presidente do Conselho de Infraestrutura da FIEB, Murilo Xavier, reforçou a importância de se avaliar a alteração do traçado. “Essa é uma decisão benéfica para o Brasil, que tem o potencial de tornar a FIOL mais pujante”, disse.

Sobre a alteração do traçado do trecho III da FIOL, o diretor presidente da Valec, André Kuhn, pontuou que uma modificação impactaria no processo de concessão. “A gente fazer uma mudança de traçado no momento atual, por parte da Valec, pode acarretar um atraso de até quatro anos em uma concessão que está sendo estudada para ser colocada em consulta pública daqui há um ano. Em uma modelagem, isso pode ser colocado em aberto para que a futura concessionária possa fazer a mudança que ela julgar cabível”, disse.
 

PARCERIAS
 

Encontro-Valec-Leone.jpg
O diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI Cimatec, Leone Peter, apresentou a instituição e sinalizou possibilidades de parcerias com a Valec. 

 

Os dirigentes da Valec Engenharia também tiveram a oportunidade de conhecer o SENAI Cimatec, centro de excelência em pesquisa, desenvolvimento e inovação, que tem mais de 40 áreas de competência, entre elas robótica autônoma, supercomputação, computação quântica e inteligência artificial. O diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI Cimatec, Leone Peter, sinalizou a possibilidade de parcerias com a Valec, a exemplo de um centro de pesquisa voltado para o modal ferroviário.

O diretor presidente da Valec, André Kuhn, também se mostrou aberto para parcerias na área de gestão ambiental e estudos de viabilidade e capacitação de pessoal da empresa. “A gente tem uma grande necessidade de capacitar nossas equipes e vejo aqui uma possibilidade de parceria muito boa neste sentido”, pontuou.

Também participaram do encontro o diretor de Administração e Finanças da Valec, Márcio Medeiros, e o diretor de Negócios da empresa, Alex Trevizan. Após o encontro, os dirigentes da Valec participaram de uma visita aos laboratórios do SENAI Cimatec. 
 

Visita-Valec-Cimatec.jpg
Os dirigentes da Valec participaram de uma visita aos laboratórios do SENAI Cimatec.