A+ A-

Notícias

segunda-feira, 26 de abril de 2021

CIEB consolida núcleos setoriais

  • Por André Luiz Pinto*

    Em tempos de profundas transformações, a sociedade tem sido desafiada quanto a seus modelos de cooperação e ideias fixas, inclusive a respeito de como fazemos negócios. Se há um entendimento que deve ser considerado “o novo normal” é que juntos somos mais fortes e conseguimos resultados melhores. Fica claro, para a maioria dos donos de negócios, que se tornou essencial reinventar a maneira como se estabelece relações com públicos de interesse e como a empresa existe na dinâmica do ecossistema empresarial.

    Para alguns setores, especialmente os mais jovens no mercado, surge a necessidade de se articular politicamente e formular, em conjunto, soluções que não englobam somente uma empresa, mas toda a cadeia de valor. A missão torna-se prosperar em grupo, mantendo-se firmes e unidos.
    Neste contexto, o CIEB - Centro das Indústrias do Estado da Bahia, tem agido como um articulador de segmentos empresariais que procuram mobilizar empresas e organizar pautas setoriais. Uma dessas formas de organização, promovida pelo CIEB, é a estruturação de Núcleos Setoriais, que consistem em grupos de trabalho formados por empresas de um mesmo segmento e com interesses em comum.

    Historicamente, é papel do CIEB estimular o fortalecimento de Núcleos Setoriais. A agenda dos núcleos prevê ações de defesa de interesses para segmentos organizados, além do planejamento e realização de workshops, treinamentos e ações com o propósito de estimular a competitividade empresarial e o fortalecimento de alianças comerciais, tecnológicas e institucionais, elencando tarefas e designando, dentre seus membros, quem faz o quê e quais pautas são mais relevantes.

    Os Núcleos Setoriais proporcionam também vantagens às empresas participantes, pois se tornam representações capazes de articular soluções, dar suporte técnico nas proposições das empresas, seja no entendimento de legislações e dispositivos legais aplicáveis ou na diligência junto ao órgão responsável pela apreciação da matéria, dentro da lógica da defesa de interesse.

    Nesses sentidos, merecem destaque as experiências do Núcleo Setorial de Microcervejarias Baianas e do Núcleos Setorial de Tecnologia e Inovação do Sudoeste Baiano. Todas as empresas nucleadas contam com soluções em gestão oferecidas pelo CIEB, com estímulo ao compartilhamento de ideias, oportunidades, conhecimento, além da geração de negócios e de alianças, típicas de redes empresariais.

    No geral, os nucleados têm melhores expectativas, entre as quais fortalecer o espírito associativo nas empresas, identificar a representatividade institucional que eles precisam ter, e unir esforços em prol do empreendedorismo, geração de renda e trabalho. Até o final do ano, são grandes as expectativas quanto à consolidação de novos núcleos setoriais. O CIEB tem intensificado a articulação junto a segmentos organizados e motivados a ampliar a cooperação e a competitividade de seus negócios, a exemplo do Núcleo Setorial de Beleza, Saúde e Bem-Estar do oeste da Bahia e do Núcleo de Artefatos de Couro em Ipirá, cujas conversas já estão seguindo.

    A tendência dos Núcleos Setoriais, que não é nova, mas vem ganhando força, parece que veio para ficar. E se depender dos empresários dispostos a lutar pelo fortalecimento de seus setores e do CIEB, é capaz dela pegar de vez.

    *gerente do CIEB.