A+ A-

Notícias

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Presidente da FIEB conhece novo programa de fornecedores da Petrobras e destaca importância da cadeia de suprimentos

Em encontro virtual realizado nesta quarta-feira (18) para apresentação do novo programa de fornecedores da Petrobras, o Mais Valor, o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia, Ricardo Alban, destacou a importância das cadeias de suprimentos para a indústria, que sofreram desabastecimento na pandemia.

 

"A sustentabilidade do encadeamento produtivo se mostrou fundamental nesta crise pelo coronavírus, em que todos os países transpareceram suas fragilidades decorrentes da dependência de suprimentos. Fortalecer a cadeia de fornecedores é tarefa de todas as empresas-âncora para garantir a viabilidade de grandes projetos", pontuou Alban. 

 

O diretor executivo de Relacionamento Institucional da Petrobras, Roberto Ardenghy, explicou que o objetivo do programa da maior empresa brasileira de óleo, gás e energia é " tornar a Petrobras mais resiliente frente ao novo mercado de energia, além de oferecer engajamento antecipado para auxiliar a indústria a fornecer melhor".

 

O Petrobras Mais Valor vai funcionar como uma espécie de leilão de notas fiscais "performadas", por meio de uma plataforma digital. Os investidores financeiros darão os lances e, quando a operação fecha, o fornecedor escolhe o melhor lance ofertado. Os pagamentos são realizados no mesmo dia, sem custo de adesão.

 

Ardenghy afirma que o programa vai privilegiar preço, qualidade e capacidade de entrega dos fornecedores, reduzindo a necessidade de capital de giro. O Mais Valor deve ser lançado no próximo dia 30, via Go Live. 

 

Gás - No encontro, Ricardo Alban aproveitou para pleitear atenção à revitalização dos campos Offshore na Bahia. "Temos empresas de pequeno e médio porte, na iniciativa privada, que podem assumir estas operações, as quais irão dinamizar a economia de diversos municípios", lembrou.

 

Alban ainda demonstrou grande preocupação com a saída de dois grandes players (Golar e ABP) do processo de arrendamento do Terminal de Regaseificação de GNL da Bahia (TR-BA), os quais, segundo ele, poderiam ajudar a resolver o problema do fornecimento de gás no estado.