A+ A-

Notícias

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Candidatos à prefeitura de Salvador expõem propostas para o setor produtivo

As federações das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-BA), e da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB) promoveram, nesta quarta-feira (21), um encontro virtual com os candidatos mais bem posicionados nas pesquisas à Prefeitura de Salvador. No evento, transmitido pelos canais do Youtube das entidades, os participantes apresentaram propostas com foco no setor produtivo.

Os candidatos Bacelar (Podemos), Major Denice Santiago (PT), Bruno Reis (DEM), Olívia Santana (PCdoB), Cezar Leite (PRTB) participaram do encontro. O candidato Pastor Sargento Isidório (Avante) foi representado pela companheira de chapa Eleusa Coronel.

“O debate é uma oportunidade importante para a nossa cidade, que precisa cada vez mais de convergência na sua gestão, assim como nosso país. Temos um hiato de desenvolvimento econômico e só poderemos superá-lo convergindo. O bem para a cidade representa o bem para o setor produtivo e para a atividade econômica”, afirmou o presidente da FIEB, Ricardo Alban.

Para o presidente da Fecomércio, Carlos Andrade, o evento trouxe uma “visão do que pensam os candidatos e o futuro mandatário da nossa cidade”. Já Humberto Oliveira, presidente da FAEB, ressaltou a importância da relação entre campo e cidade para um debate sobre a eleição do próximo gestor municipal, lembrando que municípios são “as principais células de uma nação democrática. É daqui que a gente deve começar a mudar o país", afirmou.

Propostas - Primeira convidada do debate, a candidata à vice-prefeita pela chapa encabeçada por Pastor Sargento Isidório (Avante), Eleusa Coronel afirmou que, se eleita, sua gestão estará firmada na redução de impostos, aventando a possibilidade de uma moratória “que beneficie empresa que esteja com dificuldade”. A candidata citou como projetos um “Cristoval”, evento semelhante ao Carnaval, mas de cunho religioso, uma ponte que ligaria os bairros da Ribeira e Plataforma, parcerias com instituições para capacitação profissional e a ampliação do Metrô.

Ex-aluna do Sistema S, a Major Denice (PT) destacou a importância de uma boa educação para o desenvolvimento da cidade e defendeu a criação de um ambiente favorável aos negócios. A petista declarou a intenção de criar um fórum permanente de discussão com os empresários para o desenvolvimento da cidade. Entre as propostas de seu plano de governo estão o programa de microcrédito Meu Corre Certo, o SIM 4.0, com oferta de produtos e serviços de pequenas empresas e a redução do IPTU. “As mulheres vão revolucionar as cidades”, afirmou a candidata, declarando que a prefeitura não é dona da cidade e que pretende pensar políticas para os próximos 40 anos.

Em seguida, Bacelar (Podemos) elencou alguns dos projetos do seu programa de governo: incentivo ao comércio dos bairros, geração de mais de 100 mil empregos em contratações pela própria prefeitura “para a realização de serviços na cidade, como reparos e pintura, por exemplo”, disse. O candidato falou ainda em estímulo a compras locais e cooperativas de crédito, regularização de informais e capacitação de cuidadores, afirmando também que pretende fomentar a agricultura urbana e rural de base ecológica e o agronegócio em áreas disponíveis nas Ilhas que integram o município.

Legado - O atual vice-prefeito e candidato do DEM, Bruno Reis, defendeu o legado da gestão de ACM Neto e focou sua explanação na identificação de novos vetores de desenvolvimento, com a implantação de um complexo logístico em Valéria e o apoio para o desenvolvimento comercial no entorno de Águas Claras, onde será implementada a nova Rodoviária de Salvador. Reis afirmou que Salvador não vai ficar sem um Parque de Exposições, mesmo que o Governo do Estado não desista de vender o atual equipamento, que fica na Avenida Paralela. Reis também mencionou a criação de um fórum com empresários, com reuniões mensais.

A candidata Olívia Santana (PC do B) falou sobre a necessidade das “duas cidades” se encontrarem, referindo-se à forte desigualdade social existente em Salvador. Ela enfatizou a importância deste diálogo para que se pense numa carteira de projetos que atraiam recursos para oxigenar a economia, de forma democrática. Olívia destacou também o valor da diversidade e da riqueza cultural como ativos econômicos para a capital baiana, os quais devem ser contemplados nas políticas públicas, especialmente da área de turismo. Ela ainda citou a importância de uma política de qualificação profissional articulada com instituições de educação. “Temos que preparar a mão de obra para se encontrar com as vagas disponíveis no mercado de trabalho”, frisou.

Cezar Leite, do PRTB, que encerrou o encontro, defendeu o parcelamento do ITIV (Imposto sobre transmissão de Intervivos), o fim do pagamento antecipado desse tributo e se comprometeu a avaliar com a equipe técnica outras formas de reduzir a carga tributária sobre o setor produtivo.  Para o turismo, o candidato aposta em novos circuitos, como a criação da Rota de Darwin, que reproduziria o caminho percorrido em Salvador pelo naturalista inglês Charles Darwin em 1836. O candidato também afirmou ser a favor da criação de uma cultura empreendedora através do exemplo, mostrando aos estudantes desde cedo como funcionam os setores econômicos e suas empresas.