A+ A-

Notícias

terça-feira, 28 de julho de 2020

Empresas baianas participam de rodada de negócios de olho no mercado internacional

Com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus e a retração da demanda interna, a busca por novos mercados é um dos caminhos encontrados por muitas empresas para expandir os negócios. Neste cenário, a exportação tem surgido como alternativa. De olho no mercado internacional, empresas baianas participaram da rodada virtual de negócios do setor de alimentos e bebidas Business Connection Brazil: Food & Beverage.

Uma delas foi a Latitude 13 Cafés Especiais, que teve a oportunidade de apresentar a compradores internacionais alguns dos seus produtos, como o café torrado, café moído e em grãos, cápsulas, e também o drip coffee (método de sachês individuais para café coado). A sócia da empresa, Juli Allegro, conta que segue em contato com compradores do Canadá, Emirados Árabes e Índia. “Nosso faturamento foi reduzido em mais de 60% e iniciativas como essa sempre ajudam. A rodada possibilitou que a gente fizesse, em uma única semana, contatos com empresas de continentes diferentes, de forma mais eficiente”, relata.

Segundo ela, a internacionalização da marca Latitude 13 já fazia parte do planejamento estratégico e foi acelerada. “Fizemos a tradução do catálogo, da tabela de especificação de produtos e também estamos traduzindo as embalagens”, explica Juli Allegro.

O mercado internacional também já estava entre as prioridades da Coopercuc (Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá), que produz doces, geléias, compotas, polpa de frutas, entre outros produtos alimentícios à base de frutas da caatinga. “A situação da pandemia acelerou nosso planejamento de prospecção de mercado exterior. Uma oportunidade como essa rodada de negócios é extremamente importante, pois faz com que a gente consiga entrar em contato com compradores internacionais e apresentar nossos produtos”, destaca o gestor de mercado da Coopercuc, Dailson Andrade Santos.

Ele conta que segue em contato com uma compradora dos Estados Unidos, que demonstrou interesse pelos produtos e também com um comprador da Polônia, de polpa de frutas, que visualizou o catálogo da cooperativa.

Estas duas empresas baianas são apoiadas pelo CIN - Centro Internacional de Negócios da FIEB, que integra a Rede CIN da Confederação Nacional da Industria (CNI), formada por diversas entidades e representações empresariais, nacionais e internacionais.

“Nós apoiamos as empresas baianas para que elas se posicionem internacionalmente, seja através da melhoria da competitividade junto ao próprio mercado brasileiro, considerada a crescente concorrência internacional seja na conquista de novos mercados externos”, diz a gerente do CIN da FIEB, Patrícia Orrico.

Entre os serviços oferecidos pelo CIN da FIEB estão capacitações, assessoria prática em comércio exterior, estudos de mercados e promoção comercial, a exemplo de participação em feiras, missões comerciais e rodadas de negócios. “Diante da pandemia estão sendo realizadas rodadas virtuais de negócios que, em função dos resultados positivos, apontam uma tendência de, mesmo superada a atual crise, permanecerem como eficientes ferramentas de geração de negócios”, avalia a gerente do CIN da FIEB, Patrícia Orrico.

O evento Business Connection Brazil: Food and Beverage foi uma realização do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) juntamente com o Sebrae, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Apex-Brasil. A rodada de negócios virtual foi realizada no final do mês de junho e envolveu 490 participantes, entre fornecedores brasileiros e empresas compradoras da América Latina, Estados Unidos, Índia, Emirados Árabes e Canadá.