A+ A-

Notícias

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Produção da indústria baiana fecha últimos 12 meses em queda

Se 2019 termina sem crescimento para a Indústria de Transformação brasileira, o resultado dos 12 meses do ano passado para a produção física de Indústria de Transformação baiana registrou queda de 2,9%. A constatação veio na Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física - PIM-PF de fevereiro. A publicação, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, tem por objetivo acompanhar a evolução do produto real da indústria no curto prazo.

De acordo com o gerente de Estudos Técnicos da FIEB, Ricardo Kawabe, o ano negativo para a indústria baiana tem relação direta com alguns percalços importantes: A paralisação da Fafen, problemas com a Braskem em Alagoas que refletiram na unidade baiana de Camaçari, a crise na Argentina, que impactou as exportações do segmento automotivo e as tensões entre EUA e China, que influenciaram a diminuição nas exportações de celulose.

"Um baque no setor petroquímico, como a situação da Fafen, afeta o segundo mais importante da indústria local. Como a indústria baiana é muito concentrada, qualquer impacto tem um efeito global", explica Kawabe.

Leia aqui a nota técnica elaborada pela gerência de Estudos Técnicos da FIEB e saiba mais.