A+ A-

Notícias

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Secretária estadual de Política para as Mulheres propõe ações em prol de equidade nas empresas

Realizada em 12.02, a reunião do Conselho de Sustentabilidade da FIEB, presidida pelo seu presidente, Jorge Cajazeira, recebeu como convidada a secretária estadual de Política para as Mulheres, Julieta Palmeira, que fez uma apresentação sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres, criados pela ONU Mulheres e o Pacto Global. 

 

Segundo Palmeira, para a ONU, empoderar mulheres e promover a equidade de gênero em todas as atividades sociais são garantias para o efetivo fortalecimento das economias, o impulsionamento dos negócios, a melhoria da qualidade de vida de mulheres, homens e crianças, e do desenvolvimento sustentável. “Eliminar a diferença de gênero na participação econômica em 25%, até 2025, poderia aumentar o PIB global em US$ 5.3 trilhões, no mesmo período” disse.

 

De acordo com Cajazeira," esse é um tema de significativa relevância para o setor empresarial, que deve investir cada vez numa atuação em consonância com a Agenda 2030 das Nações Unidas, assegurando o desenvolvimento sustentável do nosso país."

 

Na sua fala, a secretária também convidou as empresas a incorporarem, em seus negócios, valores e práticas que visem equidade de gênero e empoderamento de mulheres, por meio da adesão aos sete Princípios de Empoderamento das Mulheres. São eles:

 

1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.

2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação.

3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.

4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.

5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.

6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.

7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.