A+ A-

Notícias

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

SENAI CIMATEC Park inaugura uma nova era para a indústria baiana e nacional

inauguracao senai Cimatec park.jpg

Com 62 mil m² de área construída e investimentos de R$ 87 milhões, entrou em operação, nesta segunda-feira, 11.11, a primeira etapa do SENAI CIMATEC Park. O equipamento, voltado para projetos de escala industrial, já nasce com a perspectiva de ampliação, no próximo ano: estão em curso negociações para a construção de uma área de 150 mil m2 voltada para o setor de Óleo e Gás, que ampliaria em 3% a área de implantação do complexo tecnológico.  

A inauguração foi realizada na tarde desta segunda-feira, pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia, Ricardo Alban, acompanhado do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade. Estiveram presentes à cerimônia o governador do Estado, Rui Costa, os prefeitos de Camaçari e Salvador, Elinaldo da Silva e ACM Neto, entre outras autoridades e representantes da CNI e de federações de indústria.

Com uma proposta única no Brasil de suporte ao desenvolvimento da indústria, o projeto é uma expansão dos limites e da atuação do SENAI CIMATEC, em Salvador (em Piatã, Av. Orlando Gomes). Já nesta primeira fase, tem uma infraestrutura diferenciada para atender necessidades nas áreas de Automação, Conformação e União de Materiais, Química, Mineração, Fármacos, Biotecnologia e Construção Civil.

“É uma proposta nova no país, que vai ter como pilares, num mesmo local, a atração de novas empresas industriais, a atuação do modelo atual do SENAI CIMATEC, a ‘residência’ de centros de tecnologia de outras empresas e o suporte a startups de cunho industrial”, explica o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia, Ricardo Alban.

Os investimentos da ordem de R$ 87 milhões foram provenientes do Departamento Nacional do SENAI, do BNDES (via empréstimo do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira) e do Departamento Regional do SENAI-BA e compreende uma estrutura de 10 galpões industriais e um prédio administrativo.

De acordo com o diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI CIMATEC, Leone Andrade, a palavra-chave deste projeto é ecossistema. O SENAI CIMATEC Park vai ter outra dimensão para o que já é realizado no sítio Piatã. A área comportará empresas sediadas, assim como negócios e serviços de apoio aos projetos e à indústria, além de pesquisa aplicada e testes em escala natural ou piloto para o setor. “O que vai determinar a presença aqui é o perfil altamente tecnológico dos produtos e serviços”, destaca Andrade.  “É um projeto de 30 anos, com cenários diferentes para as próximas décadas, a depender dos rumos da economia e da própria indústria”, afirma Andrade. 

 

Plantas piloto

Um dos diferenciais do projeto é a capacidade de testar o escalonamento de produção (scale-up). Um dos processos de teste se dá por meio das plantas piloto. Estas são operadas para gerar informações sobre o comportamento de um sistema para uso em projeto de instalações maiores, e que permitam determinar se a tecnologia e os processos envolvidos são economicamente viáveis.

O SENAI CIMATEC Park já tem em operação algumas delas, entre as quais a Planta Piloto de Extração de Metais Valiosos, em parceria com a empresa NEXA, que recupera metais presentes em resíduos industriais de mineradoras. “O CIMATEC tem uma das melhores estruturas para projeto, construção e operação de plantas piloto no Brasil e creio que até no mundo”, afirma o gerente geral de Inovação da NEXA, Rodrigo Gomes.

Outro projeto que estará no portfólio do Park é a planta verde de ferro gusa, que está sendo desenvolvida em parceria com a Tecnored, empresa da Vale. “Será a primeira planta de ferro gusa verde, com até zero em emissão de carbono. Vai mudar a matriz energética da produção siderúrgica nacional”, anuncia o diretor de Tecnologia e Projetos da Tecnored, Hermes Filho.

Sustentabilidade

O plano diretor do projeto foi elaborado com base em princípios ‘verdes’ de construção. Os galpões industriais aproveitam luz e ventilação natural e a área conta com sistema de captação de chuvas, que são armazenadas em tanques para utilização no próprio centro tecnológico. O terreno também contará com um processo parcial de reflorestamento, com o objetivo de se criar um parque ecológico dentro do complexo.

A solenidade de inauguração foi acompanhada por empresários, representantes de empresas e representações industriais, a exemplo dos presidentes das federações do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Distrito federal, Acre, Alagoas, Ceará, Pernambuco e Goiás. Além do presidnete da CNI, Robson Andrade, estiveram presentes os vice-presidentes Jorge Studart Gomes e Olvo machado Júnior, o diretor Carlos Mariani Bittencourt e os conselheiros eméritos Albano FRanco e Armando Monteiro Neto.