A+ A-

Notícias

terça-feira, 24 de setembro de 2019

25º Sinpel discute a modernização das leis trabalhistas

Palestra sobre os novos desafios para as representações sindicais, empresas e suas lideranças internas será ministrada pelo presidente do Conselho de Relações Trabalhistas da FIEB, Homero Arandas

 

Executivos de grandes empresas nacionais e internacionais, além de lideranças sindicais e da indústria, se reúnem nos dias 26 e 27 de setembro, no Hotel Deville, em Salvador, para o 25º Simpósio Intersindical de Negociações Coletivas das Indústrias de Celulose, Papel, Papelão e Artefatos (Sinpel). O objetivo do evento é debater os desafios das indústrias e sindicatos patronais de papel e celulose com a modernização da legislação trabalhista.

A modernização da legislação trabalhista promovida pelo ex-presidente Michel Temer, estabeleceu, entre outras coisas, o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, condicionando o seu desconto para os empregados à autorização prévia, expressa e individual. No entanto, o presidente Conselho de Relações Trabalhistas da FIEB, Homero Arandas, considera que a reforma trouxe avanços significativos para as negociações coletivas de trabalho. “Esse é o grande vetor do processo de Modernização Trabalhista iniciado a partir da Lei 13.647/17. Precisamos aproveitar essa oportunidade”.

Em 2017, ainda na vigência da contribuição compulsória, os sindicatos patronais arrecadaram R$ 549,5 milhões no Brasil, de acordo com informações divulgadas pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). Em 2018, o total chegou a R$ 143,3 milhões, uma redução de 74%. Para as federações, os valores caíram de R$ 176 milhões, em 2017, para R$ 44,5 milhões este ano, uma queda de 75%.

“Tanto os sindicatos patronais quanto os sindicatos laborais terão que se reinventar. Eles precisam sair da zona de conforto, ter receita e recursos garantidos, e passar a prestar serviços de interesse e de qualidade para seus associados”, disse Arandas.

Para discutir a modernização trabalhista e os novos desafios para as representações sindicais, empresas e suas lideranças internas, o Sinpel receberá o palestrante Homero Arandas, que atua há aproximadamente 30 anos como negociador patronal em negociações coletivas de trabalho e ainda é membro do Conselho Temático de Relações do Trabalho e Desenvolvimento Social da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O SINPEL

O Simpósio Intersindical de Negociações Coletivas das Indústrias de Celulose, Papel, Papelão e Artefatos (Sinpel) acontece desde 1995, em diversas cidades brasileiras, e já faz parte do cronograma do setor, que é o segundo  mais representativo na Bahia e um dos maiores do Brasil, responsável por uma grande parcela do PIB brasileiro.

O evento, que chega a sua 25ª edição, é realizado pelo Sindpacel e tem o objetivo de debater os desafios das indústrias e sindicatos de papel e celulose em 2019, reunindo CEOs, representantes de entidades sindicais, indústrias, confederações e federações nacionais da indústria.