A+ A-

Notícias

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Biotecnologia e economia verde trazem oportunidades para indústrias de cosméticos

Investir em pesquisa de novos ativos e moléculas extraídos da biodiversidade do Nordeste e da Amazônia para desenvolver produtos inovadores é um caminho que deve ser trilhado pelas empresas do setor de cosméticos, de acordo com o especialista José Luiz de Paula Júnior, que atua há mais de 40 anos neste mercado.

Especialista José Luiz de Paula Júnior falou sobre as oportunidades para as indústrias de cosméticos. Foto: Íris Moreira Leando / GCI / Sistema FIEB

Em palestra para empresários e representantes de empresas baianas nesta quarta-feira, 13.02, na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), ele falou sobre as oportunidades para as indústrias de cosméticos. “A biotecnologia, a economia verde e a óleoquímica abrem frentes que podem ser exploradas pelas empresas de cosméticos”, defendeu.

Para exemplificar o potencial da biodiversidade do Nordeste e da Amazônia, ele citou aroeira-vermelha, que possui substâncias com propriedades fungicidas e inseticidas; o mandacaru e a bromélia, com propriedades hidratantes. “O futuro da cosmética e perfumaria na Bahia e no Nordeste passa por sua inserção na biodiversidade. Criar e desenvolver produtos ligados ao seu ambiente, visando mercados globais”, afirmou.

José Luiz de Paula Júnior ressaltou a importância do cuidado com o meio ambiente. “Não é possível ser extrativista apenas. É preciso respeitar e se integrar ao seu próprio bioma”, pontuou. O especialista também falou sobre o crescimento do mercado de produtos orgânicos e veganos, que, segundo ele, crescem em média cerca de 18% ao ano.

O evento, promovido pelo Sindcosmetic, reuniu empresários do setor. “O objetivo desse encontro é falar das oportunidades e novidades do mercado de cosméticos. O mercado tende a crescer, mas as empresas que não descobrirem seu nicho e não se atualizarem vão ficar para trás”, destacou Raul Menezes, presidente do sindicato.