A+ A-

Notícias

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Sindvest comemora 70 anos com evento na FIEB

Empresários e parceiros do Sindicato da Indústria de Vestuário e Artefatos de Joalheria e Bijuteria do Estado da Bahia (Sindvest) comemoraram os 70 anos da entidade patronal, em evento na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), na quarta-feira, dia 19.12.

Evento comemorativo reuniu empresários e parceiros do indicato da Indústria de Vestuário e Artefatos de Joalheria e Bijuteria (Sindvest). Foto: Divulgação

Um dos mais antigos sindicatos empresariais baianos, o Sindvest conta com 86 empresas associadas. Em 2017, a entidade alterou seu estatuto para abarcar, além do segmento de vestuário, o de gemas e joias. Com esta mudança, ampliou também sua base de representação, passando a ter abrangência estadual, com exceção da região de Feira de Santana. “O Sindvest tem uma história muito bonita, é um sindicato democrático e que tem se renovado a cada dia”, destacou o presidente do sindicato, Waldomiro Araújo.

Na solenidade festiva, o Sindvest prestou homenagem ao empresário Chafic Youssef Andari, um dos primeiros presidentes da entidade, pelos anos de dedicação à frente do sindicato e na diretoria da FIEB. Na oportunidade, o Sindvest também homenageou FIEB, SESI, SENAI, IEL, Fecomércio, Senac e Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), instituições parceiras do sindicato.

O evento comemorativo contou, ainda, com a palestra A empresa bacana: excelência, inovação, resultados e você, ministrada pelo professor e consultor em gestão empresarial Waldez Ludwig. “A palestra que trouxemos fala sobre programação mental do empregador e do empregado. Com a Indústria 4.0, a maior mudança que deve ser feita é no comportamento, focada em resultado e em produtividade”, destacou Waldomiro Araújo.

Na palestra, Waldez Ludwig falou sobre os desafios da administração contemporânea, abordando o processo de transformação dos negócios. “É uma transformação brutal, saindo de um mundo baseado nas coisas para um mundo baseado na pessoa. O conhecimento e a inovação são fatores preponderantes no ambiente de negócios e essas são características do ser humano. É por isso que o ser humano passou a ser o centro do processo de administração”, explica.

O consultor também falou sobre o conceito de inovação, muitas vezes confundido com criatividade. “Inovar é gerar melhoria de valor a partir de uma ideia. Não basta ter a ideia, é preciso gerar resultado”, comentou. Segundo ele, é preciso inovar nos modelos de negócios. “Há que se inovar na maneira de produzir. A inovação vai além do produto, mas também no método de produzir”, pontuou.