A+ A-

Notícias

segunda-feira, 5 de março de 2012

Primeiro Centro Theoprax fora da Alemanha inicia atividades na Bahia

Presidente da FIEB, José Mascarenhas, assina termo de cooperação com instituto alemão, que começa a funcionar no SENAI Cimatec a partir deste mês.

 

Fotos: João Alvarez/Sistema FIEB

 

O SENAI-BA e o Instituto Frunhoffer-ICT assinaram, nesta segunda-feira (5), o termo de cooperação para a implantação, na Bahia, do primeiro Centro de Comunicação Theoprax fora da Alemanha. A cerimônia, realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), formalizou a parceria entre as duas instituições, que já realizam projetos em conjunto desde 2006. “O núcleo, que vai funcionar no Cimatec, irá viabilizar a difusão desta metodologia alemã, criada nos anos 90, para unir teoria e prática no processo de aprendizagem”, disse o presidente da Federação, José Mascarenhas.

 

De acordo com o presidente da FIEB, o método, já utilizado em turmas dos cursos técnicos, será aplicado à aprendizagem dos alunos de graduação, mestrado e doutorado do SENAI nos próximos cinco anos. O objetivo é melhorar a qualidade da formação e qualificação profissionais voltadas para a indústria. “Para sobreviver, as empresas precisam aumentar sua competitividade e isso passa pela educação”, afirmou Mascarenhas.

 

A iniciativa está integrada ao conjunto de ações do Serviço de Aprendizagem Industrial Nacional, no sentido de apoiar os programas governamentais de ensino profissionalizante. “Mesmo com características institucionais distintas do governo, podemos ser parceiros para uma agenda de políticas públicas mirando atender as demandas do setor industrial. Em 2012, 62% das vagas do Pronatec em todo o país serão ofertadas pelo SENAI”, afirmou o diretor do SENAI nacional, Rafael Lucchesi.


 
Outra meta da FIEB com a implantação do Centro é fomentar a formação de um número maior de profissionais da área de exatas, principalmente engenheiros. “Até o fim do ano, serão inaugurados cinco laboratórios de suporte à aplicação da metodologia: três nas unidades de Salvador, um em Feira de Santana e outro na unidade Sul”, garantiu o gerente do Núcleo Estratégico do SENAI, Luis Alberto Brêda.

 

 

Educadores, empresários, representantes de governo, funcionários e estudantes do SENAI puderam conhecer a metodologia Theoprax durante o evento.

 


Método – Theoprax é uma forma de aprendizado que alia a teoria à prática, fazendo com que estudantes analisem problemas empresariais reais e proponham soluções para serem aplicadas nas empresas. Ao longo de um ano, tempo do aluno na unidade de ensino é dividido entre 35% de aulas-palestra, 5% de diálogo com o professor, 30% em exercícios em grupo orientados pelo projeto e 30% de trabalho em projetos em contextos reais.

 

“Já são 154 projetos desenvolvidos com alunos do SENAI, o que nos deixa muito satisfeitos, pois mostra a eficácia do método”, diz a representante do Instituto Fraunhoffer-ICT, Dörthe Krause. Ela explica que a Theoprax é uma forma mais ampla de aprendizagem, pois desenvolve a colaboração com outras pessoas, a capacidade de aplicar a teoria e a pensar de forma global.

 

Encantado com o método, o educador Jorge Portugal pretende apresentá-lo aos jovens por meio do programa Aprovado, exibido pela TV Bahia aos sábados. “Imaginem esses garotos de origem mais humilde vendo experimentando este resultado, realizando projetos, sabendo que prestaram serviços importantes para a sociedade. É um grande caminho, estou completamente seduzido”, elogiou.

 

Portugal quer levar ao programa um dos cases Theoprax realizados no Cimatec, o projeto de automação do sistema de corte de cordões para brinquedos. Desenvolvido por alunos de uma turma do Curso Técnico de Mecatrônica para a Rosita Brinquedos, o equipamento trouxe segurança à produção dos cordões de plástico, além de aumentar a produtividade da máquina. “A metodologia foi boa para a empresa e para a turma, que aprendeu fazendo”, conta o ex-aluno Ailton Barreto, 23, hoje técnico de laboratório de mobilidade da unidade do SENAI.

 

Presente ao evento, o secretário estadual de educação, Osvaldo Barreto Filho, disse que “é bom ver a ampliação de uma parceria que se propõe a contemplar o ensino médio, especialmente no intuito de contribuir para a recuperação dos conteúdos escolares mínimos”. Barreto Filho garantiu que está aberto a discutir o uso do método em escolas da rede pública.

 


A cerimônia de assinatura do termo de cooperação contou ainda com a presença do superintendente do Sebrae Bahia, Edival Passos, do Diretor Geral da Fapesb, Roberto Paulo Lopes e o ex-diretor do Instituto Fraunhoffer-ITC, Peter Eyerer.