A+ A-

Notícias

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Encontro debate perspectivas e desafios para o setor lácteo

A importância da cadeia produtiva do leite na geração de emprego e renda para o estado e a necessidade de se aumentar a competitividade dos produtores baianos foram alguns dos temas debatidos no 8º Encontro Baiano dos Laticinistas, realizado entre os dias 22 e 24 de setembro no Hotel Catussaba, em Salvador.

O presidente do sindicato, Lutz Viana, falou sobre a necessidade de se disciplinar a importação de leite. Fotos: Valter Pontes / Coperphoto / Sistema FIEB

 

Promovido anualmente pelo Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia (Sindileite), com o apoio de diversas instituições, entre elas a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), o evento teve como objetivo estreitar o relacionamento entre as indústrias de laticínios baianas e fornecedores do setor, além de fortalecer a cadeia produtiva estadual, abordando e discutindo os rumos e perspectivas do setor.

O presidente do sindicato, Lutz Viana, falou sobre a necessidade de se disciplinar a importação de leite, que tem afetado a cadeia produtiva. “É preciso avaliar esta questão e criar barreiras ao leite importado, para manter os empregos no nosso país e os nossos produtores ativos. Os produtores de leite e a indústria andam de mãos dadas. Não existe indústria sem produtor, nem produção sem indústria”, defendeu.

MACROECONOMIA

O economista  Rodolfo Margato falou sobre as perspectivas para a economia brasileira.

 

As perspectivas para a economia brasileira foram abordadas em palestra do economista do Banco Santander, Rodolfo Margato. Ele avaliou o comportamento de indicadores econômicos como PIB, inflação, taxa de câmbio, taxa de juros e investimentos diretos e avaliou que o pior momento da economia brasileira ficou para trás. “Temos condições para um crescimento mais forte após a saída da crise. Como desafio, há um ambiente de negócios pouco amigável, com alta carga tributária e problemas de infraestrutura”, disse.

O encontro contou, ainda, com palestra sobre produção de queijos, ministrada pelo mestre em Ciência e Tecnologia do Leite e Derivados, Jansen Torres. Ele explicou o que os produtores podem fazer para obter o melhor rendimento no processo produtivo. “É viável e pode ser muito rentável trabalhar com queijo, mas é preciso trabalhar com controles e estabelecer um foco estratégico dentro da produção. O pequeno produtor tem que ter foco diferente do grande”, disse.

A programação do primeiro dia do evento contou, ainda, com palestra do engenheiro agrônomo Valter Galan, que falou sobre as perspectivas mais direcionadas para o mercado lácteo em 2017 e 2018.

ABERTURA

A solenidade de abertura do 8º Encontro Baiano dos Laticinistas contou com a presença do vice-presidente da FIEB, Josair Bastos; do secretário de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues; do presidente da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA) e da FAEB, João Martins; do superintendente de Desenvolvimento Agropecuário da Seagri, Adriano Bouzas; do diretor geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Paulo Cesar; do diretor superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, além dos deputados estaduais Zé Neto e Eduardo Salles.