A+ A-

Notícias

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Oficina marca comemoração do Dia Nacional do Sorvete

Uma oficina sobre o processo de fabricação de sorvetes e picolés marcou a comemoração do Dia Nacional do Sorvete no sábado, 23.09, em Salvador. A iniciativa, do Sindicato da Indústria Alimentar de Congelados, Sorvetes, Sucos Concentrados e Liofilizados do Estado da Bahia (Sindsucos) aconteceu no Senai Dendezeiros.

"O intuito foi aproximar as crianças do processo de produção dos sorvetes e picolés, divulgando de forma lúdica como eles são feitos", ressaltou o presidente do sindicato, Luiz Hermida.

Estudantes do SESI Itapagipe participaram da oficina promovida pelo Sindsucos. Fotos: Valter Pontes / Coperphoto / Sistema FIEB.

 

Sob os olhares curiosos de estudantes do SESI Itapagipe com idade entre 8 e 10 anos, os técnicos em alimentos do SENAI Dendezeiros, Ronivaldo Oliveira e Carla Dantas demonstraram o passo a passo para a produção de sorvetes e picolés, desde a higienização, sanitização e despolpamento (separação das sementes da polpa) das frutas utilizadas, até o congelamento dos produtos.

"O equilíbrio dos ingredientes é fundamental para se obter um produto de qualidade", explicou o engenheiro de alimentos e coordenador da área de Alimentos e Bebidas do Senai Dendezeiros, Leandro Matioli. Esse equilíbrio deve acontecer durante a preparação da calda, que, no caso dos sorvetes, além da polpa da fruta, inclui ingredientes como leite em pó, açúcar, gordura vegetal, composto lácteo e os aditivos emulsificante e estabilizante. Matioli esclarece que estes aditivos têm a função de garantir estabilidade física do produto durante o seu tempo de validade.

Atenta às explicações, a pequena Beatriz Souza, de 8 anos, contou o que mais gostou na oficina. "A hora que coloca a calda na sorveteira", disse. A mãe dela, a auxiliar financeira Dulcineide Silva Souza, aprovou a iniciativa do Sindsucos. "É um lazer, mas também traz esse conhecimento técnico sobre a produção de sorvetes e picolés e apresenta para as crianças uma área profissional", comentou.

 

Participantes do evento degustaram picolés e sorvetes.

A pedagoga Fabíola França tem a mesma avaliação. "É uma experiência enriquecedora, pois a criança vê na prática a elaboração de sorvete e picolé, assim aprende como se faz", disse.

Na unidade SENAI Dendezeiros, onde a oficina foi ministrada, são oferecidos cursos técnicos em alimentos, além de cursos de iniciação profissional nesta área, a exemplo de panificação e confeitaria, e processamento de sorvetes e picolés.

AUMENTO DAS VENDAS

No Brasil, o consumo per capita de sorvetes e picolés alcança 4,86 litros/ano, de acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (ABIS). A ABIS também aponta que a região Nordeste responde por 19% do consumo total do país, atrás somente da região Sudeste (52%).

Com o aumento das temperaturas, a expectativa do sindicato é que, de outubro a fevereiro de 2018, o consumo de picolés e sorvetes na Bahia aumente em até 50%, em relação ao período do inverno. “Com a retomada da economia, as empresas estão investindo em equipamentos e também em contratação de mão de obra”, ressalta o diretor do Sindsucos, Igor Freire. Segundo ele, nos próximos meses deve haver um incremento de 20% no número de contratados.