A+ A-

Notícias

terça-feira, 29 de agosto de 2017

SENAI Cimatec e Embraer celebram parceria de excelência em P&D

A indústria aeronáutica faz parte de um ambiente global supercompetitivo, em que a busca constante por tecnologia e inovação é mais do que um mero diferencial de mercado, mas um elemento crítico para que a empresa continue competitiva e gerando empregos. Neste contexto, encontrar parceiros para desenvolver novos produtos e processos é motivo de comemoração. E foi exatamente com este intuito que se reuniram, nesta terça-feira (29), em Salvador, dirigentes da Embraer, Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), e SENAI Cimatec: celebrar uma parceria de excelência em P&D que já dura cinco anos. 

Embraer 02.jpg

 

De acordo com diretor de Desenvolvimento Tecnológico da Embraer, Daniel Moczydlower, 50% da receita líquida da terceira maior fabricante de aviões do mundo é proveniente de inovações implantadas ao longo dos últimos 5 anos. “A Embraer investe cerca de 10% da receita em P&D e Tecnologia. Mesmo com este investimento, seria impossível seria contemplar todos os temas de interesse do setor, por isso arranjos como este são virtuosos”, disse.

 

Moczydlower citou o alto grau de competência técnica, a infraestrutura diferenciada em P&D, a flexibilidade e agilidade dos processos e uma equipe de “pessoas alegres, comprometidas e motivadas”, como fatores fundamentais para que o arranjo tenha se firmado. Ele lembrou que as primeiras possibilidades de cooperação surgiram a partir de uma conversa entre um colaborador do centro tecnológico e outro da Embraer durante um voo Fortaleza-Salvador, em plena madrugada.

 

Leone Peter Andrade, diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI Cimatec, ratificou que, desde 2012, pôde-se, rapidamente, identificar sinergias entre os desafios tecnológicos da indústria aeronáutica e as competências do centro. No entanto, a parceria com o governo, por meio de um novo modelo de financiamento para a pesquisa (tripartite), iniciado no projeto-piloto da Embrapii, foi a chave que viabilizou os projetos de pesquisa. “Foi o que possibilitou o objetivo comum de desenvolver tecnologia de ponta pra que inovações cheguem ao mercado, trazendo benefícios para toda a sociedade”, afirmou.

 

Atualmente, três projetos estão em execução, com o objetivo de ganhar mais eficiência e diminuir custos, entre os quais técnicas de monitoramento com foco na segurança das aeronaves, uso da realidade aumentada para otimizar procedimentos de manutenção em campo e utilização de software para automatizar o processo de análise estrutural de danos e reparos. 

 

Presente ao evento, a diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio, destacou que o SENAI Cimatec é um “grande exemplo de trabalho sério e comprometido, que eleva o desenvolvimento da indústria”. Ela pontuou que muito do impulso dado ao Cimatec foi dado no âmbito da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), sempre trabalhando para o fortalecimento da inovação como estratégia de desenvolvimento para o país. Gianna também lembrou que o centro contém alguns dos 25 Institutos SENAI de Inovação em todo o Brasil, que têm como objetivo principal aumentar a produtividade e a competitividade da indústria nacional, com a criação de soluções ágeis, inovadoras e sob medida para indústrias de grande, médio e pequeno porte.

 

Participaram ainda da celebração o governador da Bahia em exercício, João Leão, o secretário de Ciência e Tecnologia do estado, José Vivaldo Mendonça Filho, superintendente de Planejamento da SDE, Reinaldo Sampaio, o vice-presidente da FIEB, Josair Bastos, e o diretor da FIEB, Ângelo Calmon de Sá Jr. 

 

Fotos: Betto Jr./Coperphoto/Sistema FIEB.