A+ A-

Histórico

Década de 70: IEL estimula as visitas de estudantes universitários à indústria, como forma de complementação do aprendizado; é convocado pelo Ministério da educação e Cultura a desenvolver o seu Programa de Integração Escola-Empresa-Governo; articula-se com a Ufba para atuar juntos para fortalecer a relação universidade-Indústria; é declarada entidade de utilidade pública pelo governo do estado, através da lei 3.108, de 11 de junho de 1973; e promove o II Encontro Nacional do Sistema IEL, evento que reunião que contou com Presença inclusive do governo do estado, à época (1979).

Década de 80:
1984
O Estatuto Social do IEL passa por modificações, para contemplar a ampliação da sua área de atuação na área de estágio, rumo a ações de interação com entidades de ensino profissionalizante de segundo grau e suplente, dentre outras mudanças.

Década de 90:
1991
- IEL coordena projeto de preservação do Litoral Norte, envolvendo estudos de Impacto Ambiental e Zoneamento da Estrada do Coco e instituições como a Universidade Federal da Bahia (Ufba), Secretaria de Transportes e Comunicação e o Programa Companheiros das Américas (Comitê Bahia-Pensilvânia).
- IEL inicia o Projeto Bolsas de Iniciativa Tecnológica, financiado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com a finalidade de estimular a pesquisa a partir de demandas da empresa, como forma de aprimorar e atualizar a tecnologia industrial deficiente no Brasil. O projeto ganhou adesão inicial de empresas de porte como a Copene, Nitrocarbono, Inorquímica, Nitrofértil e Alcan.
- IEL apoia o desenvolvimento do Projeto Educação Ambiental, uma iniciativa da Comissão de Meio Ambiente e Uso do Solo da FIEB, com a meta de promover discussões sobre a questão ambiental e despertar a consciência ecológica no estado.
- Convênio de Cooperação Técnica firmado com o IEL e o Consulado da Inglaterra viabilizou projetos envolvendo empresas e instituições inglesas, de um lado, e indústria e universidades, do outro. Dentre eles, a Cartilha Educacional voltada à questão ambiental e as Incubadoras Tecnológicas.
- Em convênio com o Sebrae, o IEL iniciou uma série de projetos em prol da micro e pequena empresa, como o de Incubadoras tecnológicas, Gestão da Qualidade, elaboração de Diagnósticos Setoriais, Recrutamento de Pessoal e Pesquisa das Vocações Regionais.
1992
- IEL apoia os projetos do Centro de Excelência em Petróleo e Petroquímica (Cepp), como o Laboratório de Computer Integrated Manufacturing, Sistema de Gestão e Meio Ambiente-Geofísica.
1993
- IEL dá mais um passo no sentido da implantação das incubadoras de base tecnológica, assinando convênio entre a FIEB, a Prefeitura de Uruçuca e o Sebrae para traçar um diagnóstico da região, apontando áreas com maior potencial competitivo para receber investimentos industriais. A iniciativa favorece a interiorização das ações da entidade.
- IEL atua com mais intensidade no sentido de ser “um centro de pensamentos estratégicos”, incrementando ações de pesquisa e de estudos. O Programa Qualidade Bahia é exemplo dessa medida.
- Colaboradores do IEL são treinados, através de cursos de pequena duração, nas áreas de informática, atendimento e administração de custos, como uma das etapas prévias para implantação do programa da qualidade do instituto.
1994
- IEL firma convênio de cooperação técnica com a Ufba e o Sebrae para formação do Fórum Permanente de Integração Universidade-Empresa
1995
- Uma iniciativa inovadora: o IEL promove o primeiro curso de CIM – Manufatura Integrada por Computador com 40 empresas dos setores de calçados, têxtil e confecções, dentro do Projeto de Modernização Tecnológica para Micro, Pequenas e Médias Empresas da Bahia.
1996
- IEL reestrutura Programa de Design para atender os segmentos têxtil, confecções, tecidos estamparias, couros e calçados, metalurgia, movelaria, jóias e bijuterias, e etc.
- O Programa de Incubadoras do IEL tem os seus primeiros resultados concretos, desde a instalação, no Ceped, da primeira incubadora tecnológica da Bahia, a Incubatec.
- IEL firma convênio com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), Ufba, Universidade Católica e 15 instituições da área de Engenharia do estado com o objetivo de melhorar a qualidade em obras, projetos e serviços de engenharia.
- IEL coordena o programa Tecnologias mais Limpas, em parceria com o Centro de Recursos Ambientais (CRA), com vistas à melhoria da qualidade ambiental na Bahia, e levando as empresas a anteciparem à ação fiscalizadora dos órgãos ambientais.
1997
- O Fórum de Tecnologia é criado pelo IEL com o objetivo de envolver as organizações de C&T da Bahia, que amplia sinergia entre as instituições e dá complementariedade às suas ações.
1998
- IEL cria a Retec – Rede de Tecnologia da Bahia - com a função de suprir lacuna no atendimento à demanda tecnológica das empresas, através da interação com a oferta e com base de um banco de dados com cadastro de empresas, consultores e instituições de pesquisa e desenvolvimento.
- A Finep – Financiadora de Estudos e Projetos – instala representação estadual na sede do IEL, facilitando o aumento no volume de negócios de empresas.

2001
- O IEL implementa iniciativas voltadas à capacitação empresarial, através de cursos e seminários, fomentando a criação de novas empresas, a partir de incubadoras de base tecnológica, e prestando serviços de busca, análise de informação, consultoria tecnológica, além de desenvolver avaliação de gestão empresarial de serviços, através da Rede de Tecnologia da Bahia (RETEC). Trabalha, ainda, na difusão do conceito de qualidade e incentivando a prática de design como fator de competitividade.
- A RETEC firma parceria com a Dialog Corporation, do grupo Thomsom Company, uma das mais fortes empresas de tecnologia da informação do mundo. Com a parceria, a RETEC passa a representar a companhia no Norte e Nordeste, disponibilizando para pequenas e médias empresas um banco de dados com informações atualizadas em todas as áreas e informações sobre o mercado internacional.

2002
- IEL difunde modelo da RETEC em estados como Ceará, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, com ideia de ampliar sua difusão para outros estados da federação. A transferência de tecnologia fica a cargo do IEL Nacional e do próprio regional Bahia.
- Com o intuito de capacitar os gestores de pequenas e médias empresas, gerentes e pessoal ligado às áreas relacionadas à informática, a RETEC lança, em parceria com a Faculdade Ruy Barbosa, o curso de extensão em Gestão Estratégica da Informação.

2003
- IEL e SENAI Cimatec iniciam turmas de MBA nas áreas de gestão. O curso de gestão empresarial, realizado pela terceira vez em parceria com universidades, é uma das ações do núcleo recentemente criado pelo IEL, a Gerência de Capacitação Empresarial e Empreendedorismo (GCEE).
- É assinado convênio entre o governo do Estado, a Prefeitura Municipal de Salvador e a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), através do Instituto Euvaldo Lodi, para viabilizar o projeto do Parque Tecnológico em Salvador. Caberá à FIEB, através do IEL, a coordenação técnica e operacionalização dos projetos vinculados ao convênio.
- Programa Bahia Design e RETEC cadastram 42 profissionais para atuarem como consultores em design. As empresas que necessitarem de consultoria para solucionar problemas relacionados ao desenvolvimento de produtos, têm o banco de consultores do IEL à disposição.
- É assinado convênio entre o governo do Estado, através das secretarias da Agricultura, do Planejamento e da Indústria, Comércio e Mineração, IEL, Desenbahia, Centro Internacional de Negócios e Sebrae para a viabilização da Rede de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) na Bahia.

2004
- Com o objetivo de inserir os estudante no mercado de trabalho e incentivar as empresas a valorizar a mão-de-obra local, o IEL vem intensificando suas atividades, instalando postos avançados em cidades como Ilhéus, Feira de Santana e Vitória da Conquista.
- IEL e Fórum de Estágio da Bahia criam o Prêmio Melhores Práticas de Estágio, com o objetivo de incentivar e reconhecer as empresas que investem no crescimento profissional dos estudantes baianos.
- O Sistema FIEB, através do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), gerencia a operação do Programa Nacional de Eficientização Energética na Bahia. Com o programa, agentes treinados passam a atuar dentro das indústrias, elaborando diagnósticos energéticos, buscando a otimização dos sistemas motrizes e implementando medidas de eficiência energética e combate ao desperdício.
- Inicio do trabalho de qualificação com 15 empresas fornecedoras da Veracel no Extremo Sul do Estado. A partir desse trabalho, o IEL começou a estruturar um Programa que viesse a qualificar, não só em gestão empresarial, mas em outras áreas consideradas críticas para a indústria.

2005
- A Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Instituto Euvaldo Lodi promovem a criação da Rede de Competências, um sistema de informação para contribuir no desenvolvimento de políticas para a indústria no país. A Rede reúne informações setoriais, integradas nacionalmente, em um mesmo sistema de dados, facilitando o intercâmbio de soluções tecnológicas e de conhecimento.
- O IEL, em parceria com o Sebrae, inicia a captação das empresas-âncora (empresas de grande e médio portes), para a estruturação do Programa de Capacitação de Fornecedores. Nesse período aderiram 05 âncoras (Bosch, Veracel, Deten, antiga Politeno – hoje Quattor, antiga Lyondell – hoje Grupo Cristal - Millennium) e 22 empresas fornecedoras.
- CNI reconhece o PQF como uma das melhores práticas do Sistema Indústria.
- IEL apóia, na Bahia, a execução do Projeto Extensão Industrial Exportadora – PEIEX, atendendo a 252 empresas de micro e pequeno porte dos APLs de Confecções da Rua Direta do Uruguai, Transformação Plástica, Tecnologia da Informação e Confecções de Feira de Santana.
- Número de inscritos no Prêmio Melhores Práticas de Estágio dobra em relação à primeira edição, realizada em 2004.

2006
- Programa de Capacitação sofre alterações em seu escopo, passando a ser o Programa de Qualificação de Fornecedores – PQF, onde os principais critérios avaliados eram: Qualidade (QT), Saúde e Segurança no Trabalho – SST, Meio Ambiente (MA) e Responsabilidade Social Empresarial (RSE). Neste período o programa contava com 05 empresas-âncora e 65 empresas fornecedoras.
- IEL comemora 10 anos de atuação em Feira de Santana. O momento foi marcado com um debate sobre o tema Inovação e Tecnologia, além de uma homenagem a parceiros e clientes, com a entrega de uma placa simbolizando os 10 anos de parcerias.
- Melhores Práticas de Estágio tem lançamento nacional em cerimônia realizada na FIEB, com a presença do superintendente do IEL Nacional, Carlos Cavalcante.

2007
- Práticas socioambientais da Deten são destacadas no Guia de Boa Cidadania Corporativa da Exame 2006. Dentre os projetos destacados está o Programa de Qualificação de Fornecedores, desenvolvido pelo IEL, do qual a Deten participa como empresa âncora.
- IEL estimula empresas a contratar estagiários com necessidades especiais.
- PQF se consolida em sua metodologia, passando a monitorar indicadores, acrescentando mais um critério de avaliação (Gestão Empresarial à Planejamento Estratégico, Finanças e Marketing com ênfase em vendas) além, de preparar as empresas para a certificação em 03 níveis: Diamante (100% de atendimento aos critérios), Rubi (70% dos critérios) e Topázio (50% dos critérios). Fazem parte do projeto nove empresas âncora: Bosch, Deten, Millenium, Gerdau, El Paso, Suzano Petroquímica, Suzano Celulose, Veracel e Aracruz Celulose.

2008
- Para ajudar a disseminar a importância da propriedade intelectual, especializar profissionais e estimular a competitividade, o IEL realiza curso inédito de capacitação na área, voltado para indústrias. A ação faz parte de uma iniciativa maior, o Programa de Capacitação em Propriedade Intelectual e Transferência Tecnológica para a Indústria (Capitti), que oferece também quatro oficinas, com módulos sobre patentes, informação e prospecção tecnológica e gestão e comercialização de tecnologias.
- Após cinco anos de tramitação e alguma polêmica no Congresso, o projeto de lei que dispõe sobre o estágio de estudantes, apresentado pelo senador Osmar Dias, é aprovado e sancionado pela presidência. O IEL se antecipa e promove a realização de debates em Salvador, Feira de Santana e Ilhéus para esclarecer e debater com autoridades no assunto, as principais mudanças promovidas pela nova lei. 

topo