A+ A-

Notícias

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Workshop do IEL discute desenvolvimento de carreiras

Quais são as competências valorizadas pelo mercado de trabalho? Como usar as redes sociais para interferir de forma positiva na carreira? Essas foram algumas das questões discutidas no Workshop IEL de Carreiras, evento promovido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e pelo Fórum de Estágio da Bahia, na quinta-feira, 07.11, na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).

O superintendente do IEL Bahia, Evandro Mazo, na abertura do evento. Foto: Valter Pontes / Coperphoto / Sistema FIEB.

Voltado para estudantes de ensino técnico, médio e superior, além de jovens profissionais, o evento destacou a importância das competências comportamentais para a construção de uma carreira de sucesso. “Temos trabalhado para estimular os jovens a planejarem suas carreiras e, nesse processo, inserirem o estágio já no início da sua formação como uma oportunidade de exercitar o desenvolvimento de competências emocionais e comportamentais, como trabalho em equipe, liderança e a capacidade de saber escutar, que são cada vez mais demandadas nos profissionais”, afirmou o superintendente do IEL Bahia, Evandro Mazo.

O diretor regional na empresa Limpidus, Burity Júnior, que também atua como mentor para lideranças, carreiras e negócios, concorda que o desenvolvimento de uma carreira vai além do conhecimento técnico adquirido em um curso técnico ou de graduação. “Mais importante do que isso, é o desenvolvimento comportamental. É nisso que, na prática, percebemos que os profissionais pecam. Falo isso por estar do lado da gestão, do lado de quem contrata e do lado de quem, infelizmente, às vezes tem que demitir. E normalmente nós contratamos pelo currículo e demitimos pelo comportamental”, frisou, lembrando que o relacionamento interpessoal é uma das características valorizadas nos profissionais. 

E o comportamento nas redes sociais também é importante, já que cada vez mais os recrutadores consultam esses canais para ter informações complementares sobre os candidatos. “Sem perceber, a gente está criando uma imagem para o outro. Então, já que isso acontece, por que não pensar estrategicamente na imagem que se quer transmitir? É preciso pensar o que se quer, aonde se quer chegar e como as redes sociais podem apoiar neste projeto”, explicou o professor da Unifacs, Antônio Netto, que também deu dicas sobre o que não se deve fazer nas redes, como postar fotos inapropriadas, reclamar o tempo todo e falar negativamente de outras experiências profissionais.

Outra competência comportamental discutida no encontro foi a liderança. Segundo o diretor de RH e TI para a América do Sul na Kordsa Brasil, Luiz França, a liderança é um estado de espírito e não uma posição que as pessoas ocupam. “Liderar é construir pontes para as pessoas. O líder tem que ter a capacidade de enxergar o futuro e trazer perspectivas que as pessoas ainda não viram. Além disso, ele tem possibilidade de integrar todos os pontos fortes disponíveis e fazer com que atuem em sinergia para obter um resultado especial. Outro papel do líder é desenvolver as pessoas para o sucesso. Se ele seguir esses três passos, ele vai fazer um trabalho magnífico”, destacou.

Todos esses profissionais participaram de um talk show sobre carreira e tecnologia, que também contou com a presença da sócia e diretora da Opus Human Treinamento e Assessoria, Lélian Garrido. Com mais de 25 anos na área de desenvolvimento humano, ela destacou a importância de se manter a mente aberta às mudanças. “É necessário estar aberto às transformações que estão surgindo no mundo, especialmente em relação à questão digital e tecnológica. Não adianta se fechar, porque a mudança é uma realidade. Por isso é preciso dar leveza, pois essas mudanças muitas vezes são vistas como assustadoras, aterrorizantes. Mas na verdade nós somos capazes de aprender e de nos adaptar a essas transformações”, destacou. 

Troca de experiências

O workshop teve a participação especial da atriz Maria Menezes, que foi mediadora do talk show. Foto: Valter Pontes / Coperphoto / Sistema FIEB.

O talk show foi mediado pela atriz Maria Menezes, que também falou um pouco sobre a sua experiência até se encontrar profissionalmente. Antes de encontrar o teatro, a comediante passou por outros quatro cursos. “Nesta minha busca, passei por momentos difíceis, em que achei que era eu que estava errada, que não me adaptava a nada”, conta. E os estágios que fez também contribuíram para que identificasse com o que gostava de trabalhar. “O estágio é uma experiência maravilhosa para se ter uma mostra do que será sua rotina diariamente. E é no trabalho que a gente passa a maior parte do nosso tempo. Então tem que ser alguma coisa que a gente goste”, comenta.

Os participantes do Workshop IEL de Carreiras também puderam conhecer as experiências dos vencedores da etapa regional do Prêmio IEL de Estágio 2019 – Kordsa, Tecon, Soft Line e Procuradoria Geral do Estado (PGE).